Sobre o Centro
Equipe reúne pesquisadores com ampla experiência em investigação, educação e desenvolvimento tecnológico nas áreas de obesidade, diabetes, hipertensão, aterosclerose, química de fármacos, nutrição, atividade física e câncer

O Centro de Pesquisa em Obesidade e Comorbidades (OCRC, da sigla em inglês) tem como desafio buscar soluções para a obesidade, doença que resulta do desequilíbrio entre ingestão calórica e gasto energético, geralmente associado a diabetes, hipertensão, aterosclerose e alguns tipos de câncer.

Apesar do grande avanço na caracterização dos mecanismos de controle da fome e da termogênese, a complexidade dos circuitos neurais e os obstáculos anatômicos para os estudos do hipotálamo humano dificultam o tratamento da obesidade, atualmente um dos mais importantes problemas de saúde pública do planeta.

Todas as modalidades terapêuticas e profiláticas utilizadas até o momento revelaram-se insatisfatórias para conter esse avanço. Em decorrência de sua associação com uma série de outras doenças, a obesidade contribui de forma direta ou indireta para a maior parte das causas de morte em populações acima de 40 anos.

Os principais motivos para o aumento na prevalência da doença são a introdução de hábito alimentar inadequado, constituído por grandes quantidades de gorduras saturadas e carboidratos simples, e o progressivo aumento do sedentarismo.

O OCRC tem por objetivo promover o avanço científico na área da obesidade e doenças associadas. O grupo é formado por 14 pesquisadores principais com ampla experiência em investigação, educação e desenvolvimento tecnológico nas áreas de obesidade, diabetes, hipertensão, aterosclerose, química de fármacos, nutrição, atividade física e câncer.

Do ponto de vista científico, o tema será abordado de forma multidisciplinar, procurando soluções que promovam avanços no conhecimento dos mecanismos fisiopatológicos que conectam a obesidade com suas comorbidades e que contribuam de forma independente para cada uma dessas condições associadas. Serão feitos investimentos na busca de novos fármacos e de novas modalidades de abordagens nutricionais e atividades físicas.

O Centro investirá ainda em programas de orientação preventiva para alunos do ensino médio e para idosos e em métodos de triagem para a detecção de doenças associadas, em estreita relação com a indústria. Serão criados também um projeto de educação voltado ao recrutamento de jovens pesquisadores e um arrojado programa de transferência de tecnologia.