Investigação em alimentação e nutrição
O objetivo do Centro de Pesquisa em Alimentos é beneficiar os consumidores, o agronegócio brasileiro e as agências reguladoras, por meio de pesquisas em sistemas biológicos, saúde, segurança e qualidade
 

O Centro de Pesquisa em Alimentos (FoRC, da sigla em inglês) está organizado em quatro linhas de investigação. Na primeira, Sistemas Biológicos em Alimentos, os alimentos são caracterizados por sua biodiversidade e composição em macro e micronutrientes, entre outros compostos que possam trazer benefícios potenciais à saúde. O objetivo é elucidar os mecanismos moleculares que regulam a biossíntese e o catabolismo, por meio da genômica, proteômica e metabolômica e de ferramentas da bioinformática.

Na segunda, Alimentação, Nutrição e Saúde, os pesquisadores estudam os impactos dos componentes dos alimentos sobre o estado nutricional de grupos da população e avaliam seu potencial na redução dos riscos de doenças.

Em Segurança e Qualidade dos Alimentos, a terceira linha de pesquisa do FoRC, são realizadas avaliações de risco para uma série de patógenos microbianos e químicos, ao longo de toda a cadeia alimentar, numa abordagem farm to fork.

Na quarta e última linha, Novas Tecnologias e Inovação, a atenção está na identificação de novos ingredientes com funcionalidades específicas, na concepção de novos alimentos nutritivos e seguros e na criação de novos sistemas de embalagens que promovam segurança e saúde. Essa linha de pesquisa envolve ainda a avaliação do impacto ambiental do processamento de alimentos. 

A maioria dos projetos e das atividades do Centro é realizada com a participação de estudantes de mestrado, doutorado e pós-doutorado.

O Centro contará com a cooperação, intermediada pela Agência USP de Inovação, de setores da indústria de alimentos, do governo e de outras instituições de pesquisa. A transferência de tecnologia é uma meta importante a ser atingida pelo FoRC. O objetivo é converter os resultados da investigação em aplicações que promovam benefícios para a saúde e a qualidade de vida da população, assim como para a indústria, o comércio e o desenvolvimento do País.

Por meio de cursos, da web, da TV, entre outros canais, os resultados serão comunicados a públicos distintos: comunidade científica, profissionais de nutrição, indústria, governo e sociedade em geral. Haverá também um site interativo e acesso a um banco de dados com diferentes níveis de complexidade, incluindo material didático para estudantes.

(Foto: Wikimedia)